Topo da Página
Portal de Acessibilidade do RS
Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos
Início do conteúdo

Você está em: Página Principal » Notícias e Informes » Tecnologia ajuda a obter qualidade de vida

Tecnologia ajuda a obter qualidade de vida


Andreia demonstra cadeira de rodas à mãe Inajara e ao construtor Jairo Quadros - Foto: MATEUS BRUXEL 13/09/2010

Uma cadeira de rodas motorizada e adaptada mudou a vida de Andreia Cerigatto, 27 anos. Cadeirante, ela conseguiu com o equipamento liberdade para se deslocar, apesar da deficiência física que compromete sua coordenação motora. "Foi um recomeço", conta ela, que utiliza o veículo especial há cinco meses. A cadeira de rodas adaptada foi construída especialmente para ela. A iniciativa deu certo e passou a ser utilizada por outras pessoas com deficiência física.

Desenvolvida pelo piloto e empresário Jairo Quadros, demorou quase cinco anos para ficar pronta. "Este projeto mudou a minha vida", diz ele, ao lembrar os dias e as tentativas feitas até a conclusão do equipamento nos últimos anos. Agora, o desafio de Quadros é terminar de desenvolver o projeto de um carro com capacidade para duas pessoas e adaptado para a utilização de portadores de deficiência. "Temos que utilizar a tecnologia a favor da qualidade de vida das pessoas."

A cadeira de rodas motorizada tem duas rodas na parte de trás e uma na frente, facilitando o deslocamento, em especial nos terrenos com desníveis ou rampas. Funciona com cinco baterias, que permitem a sua utilização durante cinco dias. Para acioná-la é preciso apenas apertar um botão central e acelerar. A força do veículo é grande - consegue puxar inclusive um carro. Essa potência é importante para que a jovem consiga subir a lomba existente em frente ao restaurante que sua mãe, Inajara, mantém no bairro Santo Antônio.

Segundo Inajara Cerigatto, de 53 anos, o equipamento permitiu um salto na qualidade de vida da filha. "Com a cadeira antiga, ela tinha problemas de se deslocar, exigindo sempre a companhia de alguém. Agora, consegue sair e voltar sozinha", conta a mãe.

A jovem perdeu os movimentos quando tinha oito meses de idade, devido a complicações provocadas por uma infecção. Depois da confirmação das sequelas, em especial as que comprometeram a coordenação motora, a vida de Andreia tornou-se uma luta diária.


Fonte: Correio do Povo

Página anterior | - | Voltar para o topo da página





Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul - FADERS
Rua Duque de Caxias, 418 - Bairro Centro - Porto Alegre/RS - CEP: 90.010-280
Telefone/Fax: (51) 3287-6500 - faders@faders.rs.gov.br - Todos os direitos reservados.