Topo da Página
Portal de Acessibilidade do RS
Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos
Início do conteúdo

Você está em: Página Principal » Notícias e Informes » Deficiência é tema de ciclo

Deficiência é tema de ciclo

22/09/2010

O Festival Internacional de Filmes Sobre Deficiência, "Assim Vivemos", criando em 2003 inicialmente no Rio de Janeiro e Brasília, chega a Porto Alegre de hoje até o próximo domingo. A mostra será realizada no CineBancários (General Câmara, 424); serão exibidos os melhores filmes da edição de 2009. A programação, como o nome do evento já sugere, apresenta obras relacionadas à deficiência e acessibilidade, propondo debates sobre estes assuntos. As temáticas são focadas nos indivíduos, suas subjetividades, sentimentos, ideias, conflitos familiares e dramas pessoais.

Serão apresentados 16 filmes de 11 países; para garantir a acessibilidade do público, as exibições terão audiodescrição, catálogos em braile, legendas Closed Caption e interpretação em libras. Também serão realizados debates com o objetivo de discutir questões levantadas pelos filmes. Na próxima quinta, 23, após a exibição de "Somos Todos Daniel", às 17h, haverá debate, assim como na sexta, 24, após a apresentação de "Sou Surdo e Não Sabia", às 17h.

A programação de filmes terá títulos como "Borovichok", de Serguei Loukiantchikov, da Bielorrússia e Polônia, que mostra o abandono de um menino com deficiência física e mental em um orfanato. "Como Você Ousa?", filme israelense de Lizka Assa e Uri Shin, mostra a luta de Hanni para superar dificuldades financeiras ao descobrir o diagnóstico de uma doença neurológica fatal, e mostra seu encontro com o físico Stephen Hawking, atingido pela mesma doença.

O filme argentino "Mundo Asas", de Leon Gieco, Sebastian Schindel e Fernando Molnar, músicos, cantores e artistas com diferentes capacidades e deficiências expressam suas visões de mundo, acompanhados pela voz, talento e experiência de Leon Gieco, numa turnê por várias cidades argentinas. "Mundo dos Ingênuos", de Tofik Shakhverdiev, compara e contesta a noção de deficiência da velha Rússia, a de que as pessoas com deficiência estavam perto de Deus, com uma realidade atual bem mais cruel: frequentemente, pessoas com Síndrome de Down não são permitidas na Igreja. "Pindorama", de Roberto Beliner, Lula Queiroga e Leo Crivellare mostra uma trupe de anões de circo, que excursiona pelo sertão nordestino.


PROGRAMAÇÃO

FESTIVAL ASSIM VIVEMOS

PROGRAMA 1
Dias e horários:
21.09 – 15h
23.09 – 17h (após a sessão debate)
Filme: Somos todos Daniel (Dir. Jesse Heffring / Canadá / 92')
No verão de 2007, estudantes da Escola Summit de Montreal, com deficiências intelectuais, emocionais e comportamentais, ensaiam uma complexa peça de teatro musical. A peça conta a jornada de um estudante com autismo que chega em uma nova escola. As belas e desajeitadas performances desses estudantes expõem uma profunda e perturbadora verdade. Eles não são diferentes de nós, não querem a nossa piedade, querem nos mostrar quem são, e ser compreendidos. O documentário acompanha os ensaios da peça, dando destaque a seis dos estudantes, seus pais e professores. Autismo, Aspergers, Síndrome de Down, TORCH Syndrome, A.D.D., suas manifestações e conseqüências são reveladas. Essa jornada, em que às vezes a ficção se mistura com a realidade, revela a beleza desses jovens, suas habilidades e o fascinante efeito de sua honestidade.

PROGRAMA 2
Dias e horários:
21.09 – 17h
26.09 – 19h
Filme: Mundo Asas (Dir. Leon Gieco, Sebastian Schindel, Fernando Molnar / Argentina / 90')
Este é um filme de estrada. Músicos, cantores, dançarinos e pintores; todos importantes artistas com diferentes capacidades e diferentes deficiências expressam suas visões de mundo, acompanhados pela voz, talento e experiência de Leon Gieco, numa turnê por várias cidades argentinas. Durante esse tempo, histórias de amor e relações humanas se revelam como prova de que a integração é possível. Uma maravilhosa experiência musical sobre superação de dificuldades e amor, que começa por nomear e reconhecer as pessoas por suas capacidades.

PROGRAMA 3
Dias e horários:
21.09 – 19h
FILME: Pindorama (Dir. Roberto Beliner, Lula Queiroga e Leo Crivellare / Brasil / 81')
Uma família de circo como outra qualquer, que mora, vive e trabalha numa casa que anda. Assim é a vida de Charles, Zuleide, Gilberto, Cleide, Rogério, Claudio e Lobão, sete anões irmãos, descendentes do mítico palhaço Pindoba, ?o menor e mais engraçado palhaço do mundo?. Juntos, eles formam o circo Pindorama, uma trupe que circula pelo sertão nordestino, despejando alegria, risos, nos dando aula de fraternidade e conquistando os corações do Brasil.

PROGRAMA 4
Dias e horários:
22.09 – 15h
FILME: Sentidos à flor da pele (Dir. Evaldo Mocarzel / Brasil / 80')
Sentidos à Flor da Pele acompanha a rotina de vida de pessoas com deficiência visual que atuam de modo nada convencional no mercado de trabalho. Vivemos em um mundo cada vez mais dominado por imagens. A perda parcial ou total da visão promove um aprofundamento na fruição dos outros sentidos, que se tornam muito mais aguçados. O tema principal do filme são as capacidades, habilidades, inúmeras possibilidades de inclusão, também estímulos, compreensão e a luta contra todo tipo de preconceito.
PROGRAMA 5
Dias e horários:
22.09 – 17h
24.09 – 15h
FILME: Vozes de El-Sayed (Dir. Oded Adomi Leshem / Israel / 75')
No pitoresco deserto israelense de Negev encontra-se a aldeia beduína de El-Sayed, que possui o maior percentual de pessoas surdas do mundo. Lá, ninguém usa prótese auditiva, porque em El-Sayed a surdez não é considerada uma deficiência. Através das gerações, foi se desenvolvendo uma língua de sinais única, fazendo desta a língua mais usada nessa rara sociedade que aceita a surdez como algo tão natural quanto a vida. A tranqüilidade da aldeia é interrompida pela decisão tomada por Salim de mudar o destino de seu filho surdo e fazer dele um ouvinte por meio da operação de implante coclear.

PROGRAMA 6
Dias e horários:
22.09 – 19h
24.09 – 17h (após a sessão debate)
FILME: Sou surdo e não sabia (Dir. Igor Ochronowicz / França / 70')
Por vários anos, Sandrine não sabia que era surda. Surda de nascença, ela é filha de pais ouvintes. Chegou a freqüentar a escola regular, e lá se perguntava como os outros compreendiam o que a professora estava tentando transmitir. Como uma pessoa surda descobre que pessoas se comunicam através de sons, que o movimento dos lábios que eles vêem produz palavras e comunicação? Esse documentário olha para a questão a partir de dentro, pela perspectiva de Sandrine e sua história verídica. Paralelamente ao relato da autonomia conquistada com a Língua de Sinais, o filme levanta a discussão sobre a conveniência do implante coclear e da oralização de crianças surdas.

PROGRAMA 7
Dias e horários:
23.09 – 15h
FILME: Sheri e Paul (Dir. Anthony Di Salvo / EUA / 11')
Um casal faz reflexões pessoais sobre amor e casamento nesse singelo e tocante filme-retrato. Sheri Pearl e Paul Kiok, duas pessoas com deficiência intelectual, sentam em frente a câmera e, cada um a seu modo, falam com franqueza sobre seu relacionamento e os sentimentos que experimentam três meses depois de terem se casado.

FILME: Corações (Dir. Øyvind Sandberg / Noruega / 60')
Uma movimentada e reflexiva história sobre Kåre Morten, um jovem com síndrome de Down, sua namorada e um amigo, também com Down. Kåre e Maybritt ficam noivos, para o desespero de sua mãe. Um dia, Maybritt descobre que Kåre Morten não está usando sua aliança? E se instala o conflito. O filme acompanha alguns dias da vida de Kåre, em seu trabalho, no cotidiano compartilhados com um amigo, que tem um temperamento diametralmente oposto ao seu, nos encontros com a namorada e nas difíceis conversas com sua mãe.

PROGRAMA 8
Dias e horários:
25.09 – 15h
26.09 – 17h
FILME: Simon (Dir. Régis Roinsard / França / 36')
Simon, um rapaz tetraplégico de vinte e cinco anos, vive com sua mãe. Seus destinos parecem estar ligados para sempre: Simon quer sua independência tanto quanto a de sua mãe. Mas antes de conquistá-la, passa por algumas experiências um pouco radicais, como enfrentar, só com sua cadeira, a estrada perto de sua casa e estudar as estrelas de um modo inusitado.

FILME: Como você ousa?! (Dir. Lizka Assa e Uri Shin / Israel / 52')
Nada poderia impedir Hanni de realizar seus sonhos, nem mesmo uma doença neurológica fatal com o diagnóstico de apenas mais dois anos de vida. Ela luta contra o sistema, supera as dificuldades financeiras e constrói uma nova carreira. O filme Como você ousa?! acompanha uma mulher forte e inspiradora em sua atribulada jornada, e mostra seu encontro com o físico Stephen Hawking, que foi atingido pela mesma doença. Ao longo dessa segunda metade de sua vida, duas magníficas surpresas deixam todos à sua volta perplexos e eufóricos.

PROGRAMA 9
Dias e horários:
25.09 – 17h
FILME: Ofensas verbais (Dir. Jerry Smith / EUA / 26')
Um grupo de ativistas com deficiência intelectual reagem ao uso da palavra "Celebretard?, um trocadilho que mistura ?celebridade? com ?retardado?, que um grupo de teatro de Mineápolis inadvertidamente inventou para batizar uma cerimônia supostamente positiva. O grupo dá voz a um grande número de cidadãos e discute questões de adequação de linguagem e direitos humanos.

FILME: Omar: Você aceita minha deficiência? (Dir. Rita Lalaou, Patrice Barrat / França / 54')
Omar Koussih tem 19 anos e sofre de amiotrofia espinhal. Ele mora em Rabat, capital do Marrocos, com sua família, e usa a maior parte de seu tempo para escrever poemas. Na primavera de 2007, Omar escreveu para a TV Madmundo pedindo ajuda para promover os Direitos das Pessoas com Deficiência. Assim se inicia a história do filme: ?Omar: Você Aceita Minha Deficiência?? Educação, trabalho, acesso às necessidades do dia-a-dia... o filme trata de todos esses assuntos enquanto acompanha Omar em sua pesquisa pelo Marrocos, França, Japão e Estados Unidos. Nesse percurso, ele realiza um de seus sonhos: assiste ao vivo a um jogo do Barcelona em seu próprio estádio, e conhece pessoalmente alguns dos jogadores da equipe.

PROGRAMA 10
Dias e horários:
25.09 – 19h
FILME: Apenas o amor (Dir. Vardan Abelyan / Armênia / 25')
O documentário “Only Love” fala sobre três meninos com deficiência entre 10 e 13 anos, Ashot, Narek e Levon. Seus pais contam como eles se desenvolvem em seus estilos de vida limitados e superam todas as dificuldades devido ao grande amor que eles recebem e devolvem para as pessoas ao redor. Assim como com todos os seres humanos, apenas o amor e o afeto dão aos garotos autoconfiança e serenidade para encarar a realidade.

FILME: Borovichok (Dir. Serguei Loukiantchikov Bielorrússia e Polônia / 52')
Andreika nasceu com deficiência física e mental e sua mãe o abandonou num orfanato onde ele viveu por cinco anos. Depois disso, sua mãe o trouxe de volta para casa, onde ele é a sexta criança da família. Eles vivem em uma pequena aldeia da Bielorússia onde Andreika sente-se feliz agora.

PROGRAMA 11
Dias e horários:
6.09 – 15h
FILME: Mundo dos ingênuos (Dir. Tofik Shakhverdiev / Rússia / 24')
Esse filme compara e contrasta a noção de deficiência da Velha Rússia, a de que as pessoas com deficiência estavam perto de Deus, com uma realidade atual bem mais cruel: frequentemente, pessoas com Síndrome de Down não são permitidas na igreja. Por que a sociedade não esta pronta para aceita-los? Esse filme fala sobre pessoas ingênuas e gentis, que vivem num mundo paralelo, partindo, esteticamente, de um belíssimo quadro da Santa Ceia pintado com modelos com Síndrome de Down posando no lugar dos personagens bíblicos.

FILME: Jinok vai à escola (Dir. Jin-yeu KIM / Coréia do Sul / 54')
O filme focaliza a vida da família de Jin-ok depois de se casar, dar a luz e criar sua filha Seo-kyoung. Fazer um documentário sobre o progresso de um único indivíduo é um processo lento que, nesse caso, permitiu ao diretor registrar a intimidade da vida do casal com sua filha. Jyn-ok, uma mãe típica que deseja educar bem sua filha, faz um esforço para se transformar numa corretora de seguros e uma conselheira para assuntos de violência sexual contra mulheres com deficiência. O documentário ajuda espectadores sem deficiência a se livrarem da piedade ou preconceito que possam ter em relação às pessoas com deficiência e dá a estas um estímulo ao mostrar a vida ativa de Jin-ok.


Fonte: Correio do Povo

Página anterior | - | Voltar para o topo da página





Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul - FADERS
Rua Duque de Caxias, 418 - Bairro Centro - Porto Alegre/RS - CEP: 90.010-280
Telefone/Fax: (51) 3287-6500 - faders@faders.rs.gov.br - Todos os direitos reservados.